nov 12

Autor: Wilde, Oscar
Tradutor: Dauster, Jorio
Editora: Biblioteca Azul
Páginas: 352
1a Edição: 2013
Assunto: Romances

Sinopse:
Londres, início do século XX, três personagens – Lord Henry, um bon vivant inescrupuloso e amoral; o pintor Basil Hallward, um artista até certo ponto  liberto dos preconceitos da época, mas ainda zeloso de aparentar tê-los; e o jovem Dorian Gray, filho da aristocracia, rico e, sobretudo, muito belo. É com esses elementos que Oscar Wilde compõe o cenário de um dos mais importantes romances da língua inglesa da virada do século XX. ‘O Retrato de Dorian Gray’. Seduzido pela admiração que ele próprio causa nos dois amigos e, sobretudo, pela própria beleza retratada por Basil, Dorian tem um momento no pacto faustiano – faz um juramento dizendo que daria tudo, inclusive sua alma, para que ficasse sempre jovem e belo. Assim, enquanto o retrato exibe todo o efeito de degeneração moral, e vai ‘envelhecendo’, Dorian mantém-se belo e jovem, apesar de toda vileza, das maldades e da falta de escrúpulos que vai adquirindo. Oscar Wilde desenvolve essa sua espécie de mito de Fausto com um estilo incomum, tiradas morais ferinas e frases que se tornaram lapidares na história da literatura mundial. A elegância da escrita, a crítica ao jornalismo da época e a crueza do julgamento da hipocrisia da sociedade o tornaram, no calor do lançamento, um clássico instantâneo, apesar da dureza com que foi recebido pela crítica literária e, claro, pelos moralistas de plantão.

Fonte: Livraria Cultura
Importante: A adaptação para o cinema foi lançada em 2009 e foi dirigida por Oliver Parker, com Ben Barnes no papel principal.

 

Escrito por marcia
Tags: , , , , ,


Deixe um comentário