abr 15

Milos Forman faleceu aos 86 anos no sábado (14/4), em Danbury, Connecticut, nos Estados Unidos, onde morava desde 1968 e conseguiu a nacionalidade americana em 1977. A causa da morte não foi divulgada. O diretor/roteirista ganhou dois Oscar, em 1976 e 1985, na categoria melhor diretor, por “O Estranho no Ninho” e “Amadeus”, respectivamente. A sua mulher Martina informou a agência de notícias CTK sobre a morte do marido na residência do casal: “Sua partida foi calma e cercada o tempo todo de sua família e seus amigos próximos.” Milos – que nasceu em Caslav, em fevereiro de 1932 – deixa quatro filhos. Certa vez falou sobre seu exílio: “Prefiro um país livre e abarrotado de mau gosto a um país refinado, mas sem liberdade.” E mais: “A censura é o pior dos males. Vivi sob um regime totalitário em que existia a pressão da censura ideológica. Agora vivo em um país em que, se existe alguma pressão, é a comercial. Sem dúvida, prefiro essa última, pelo menos nela milhares de pessoas decidem e não só uma.”

Fonte: El País

Escrito por marcia
Tags: , , , , ,

ago 26

Este drama é interessante, tem um bom roteiro e boas atuações. A direção é de Christophe Honoré (A Bela Junie), com Catherine Deneuve, Ludivine Sagnier, Chiara Mastroianni, Louis Garrel e Milos Forman.

A trama é sobre o relacionamento de duas mulheres com os homens que aparecem em suas vidas, tentando responder a questão de como resistir à passagem do tempo e ainda ter que lidar com os mais profundos sentimentos.

Escrito por marcia
Tags: , , , , , , ,

out 24

brotherhood de nicolo donatol'uomo che verà de giorgio dirittiCriado há quatro anos pelo ex-prefeito de Roma, o cinéfilo Walter Veltroni, o Festival de Roma perdeu o brilho este ano, com a participação de apenas 14 filmes, contra 20 em competição em 2008. O orçamento também caiu de 15,5 milhões de euros para 12 milhões de euros este ano. O longa “Brotherhood“, do estreante diretor dinamarquês Nicolo Donato, ganhou nesta sexta-feira (23/10) o prêmio Marco Aurélio de Ouro de Melhor Filme; o prêmio Marco Aurélio de Prata de Melhor Ator foi para Sergio Castellito, por “Alza La Testa”, de Alessandro Angelini; o prêmio Marco Aurelio de Prata de Melhor Atriz foi para Hellen Mirren, por “The Last Station”, de Michael Hoffman. O Grande Prêmio do Júri, presidido por Milos Forman, foi entregue a “L’Uomo Che Verrà”, de Giorgio Diritti.

Fonte: terra.com

Escrito por marcia
Tags: , , , , , , , , , , , ,

jun 13

Este diretor tcheco que tem cidadania americana, de 81 anos, estudou roteiro na Academy of Performing Arts, em Praga. Dirigiu várias comédias na então Tchecoslováquia. Depois que seu país foi invadido pela União Soviética e seus aliados, ele foi para Paris negociar uma produção americana. Quando retornou o estúdio pelo qual trabalhava o despediu, alegando que ele estava fora do país ilegalmente. Mudou-se para Nova York, onde mais tarde se tornou professor de cinema na Columbia University e co-presidente do setor de filmes da Columbia. Apesar das dificuldades iniciais, ele começou a dirigir nos EUA em 1971 com “Procura Insaciável” e alcançou o sucesso em 1975 com “Um Estranho no Ninho”. Em 1977, tornou-se cidadão americano. Em 1994 publicou sua autobiografia: “Turnaround”. Foi indicado 3 vezes ao Oscar de melhor diretor, por “Um Estranho no Ninho” (1975), “Amadeus” (1984) e “O Povo Contra Larry Flynt” (1996). Ganhou por “Um Estranho no Ninho” e “Amadeus”. Recebeu uma indicação ao Globo de Ouro de melhor diretor, por”Na Época do Ragtime” (1981). Ganhou um Urso de Ourono Festival de Berlim, por “O Povo Contra Larry Flynt” (1996). Ganhou 3 prêmios Bodil de melhor filme americano, por “Os Amores de Uma Loira” (1965), “Procura Insaciável” (1971), “Um Estranho no Ninho” (1975). Recebeu 2 indicações ao Bafta de melhor diretor, por “Procura Insaciável” (1971) e “Um Estranho no Ninho” (1975). Venceu por “Um Estranho no Ninho”. Recebeu uma indicação ao Bafta de melhor roteiro, por “Procura Insaciável” (1971). Ganhou o Grande Prêmio do júri no Festival de Cannes, por “Procura Insaciável” (1971). Recebeu uma indicação ao César de melhor diretor, por “Valmont – Uma História de Seduções” (1989). Ganhou o César de melhor filme estrangeiro, por “Amadeus” (1984). Ganhou o prêmio Outstanding European Achievement in World Cinema, do Festival Europeu de Filmes, por “O Povo Contra Larry Flynt” (1996).

Filmografia
1963- Pedro, O Negro
1965- Os Amores de Uma Loira
1967- O Baile dos Bombeiros
1971- Procura Insaciável
1975- Um Estranho no Ninho
1979- Hair
1981- Na Época do Ragtime
1984- Amadeus
1989- Valmont – Uma História de Seduões
1996- O Povo Contra Larry Flynt
1999- O Mundo de Andy
2006- Sombras de Goya
2009- Dobre Placená Procházka

Escrito por marcia
Tags: ,