jul 14

A bela Amanda Seyfried está na capa e no recheio da revista americana PorterEdit, última edição. A atriz, de 32 anos, fala sobre ter se casado graos nove meses de gravidez: “Realmente queria estar com uma aliança no hospital, sabe? E se algo desse errado e ele não fosse legalmente meu marido?” Sobre o escândalo de Harvey Weinstein: “Você começa a pensar em todos os caras com reputação, tipo, ele é o próximo? Tive sorte. Não lidei com nada que minhas colegas lidaram. As pessoas têm sido ingênuas, mas sou muito boa em evitar.” E sobre ser diagnosticada com TOC: “Mudou toda minha vida. Foi muito emancipador. No início, meu assessor de imprensa disse: ‘Não fale sobre sua ansiedade.’ E eu pensei: ‘F… você, na verdade. Quero que as crianças, que estão tendo pensamentos estranhos, compartilhem sem estigma. E se isso afetar minha carreira, que seja assim.”

Fonte: JustJared

Escrito por marcia
Tags: , ,

jul 07

A estrela Jodie Foster está na capa e no recheio da revista americana PorterEdit, última edição e já nas bancas. A atriz/diretora, de 55 anos, fala sobre os questionamentos femininos em relação ao #MeToo: “Não acho que há uma mulher, que eu conheça, que não olhe para trás quando tinha 15, 16, 17 ou 18 anos, que não coloque sua mão na cabeça e diga: ‘Por quê fiz isso? Por quê eu era assim? Por quê eu não era confiante? Por quê eu não disse não?'” E como ter uma mãe conhecedora da indústria cinematográfica pode tê-la protegido dos abusadores de Hollywood: “O caldeirão esquisito que me fez – trabalhando desde os três anos de idade, sustentando minha família quando tinha sete anos, mãe super forte, personalidade excessivamente confiante, celebridade jovem o suficiente para aprender a ser reservada… Acho que há um monte de razões para eu não ter o mesmo caminho de alguém que chegou a Hollywood aos 22 anos com dois centavos no bolso e só querer mais do que qualquer coisa ser ator; é apenas uma vida diferente.” Sobre celebrar o Pride Month: “Todo dia é dia de orgulho gay para mim.” E sobre como ela não queria que seus filhos soubessem que ela era famosa: “Não queria que eles soubessem sobre minha celebridade. Lembro-me de quando meu filho tinha cerca de quatro anos e ele achava que eu era uma operária da construção civil.”

Fonte: JustJared

Escrito por marcia
Tags: ,

maio 05

A bela Elle Fanning está na capa e no recheio da revista americana PorterEdit, última edição e já nas bancas. A atriz, de 20 anos, falou sobre ser confundida com a irmã, Dakota Fanning: “Não tenho sido confundida [com Dakota] há algum tempo, o que é muito legal, porque definitivamente costumava acontecer o tempo todo.” Sobre o tiroteio em Parkland, na Flórida, que derivou na March for Our Lives: “Com esses alunos, não posso nem imaginar o que eles estão passando. Se fosse para a escola agora, ficaria aterrorizada. Ninguém merece ter medo em sua própria sala de aula. Mas é tão bom ver jovens vozes sendo finalmente ouvidas.” E sobre conhecer Beyoncé no Met Ball: “Fiquei muito impressionada. Conheci Beyoncé e Jay-Z no Met Ball… fiquei impressionada com todos, ficava olhando para as pessoas como uma esquisita, mas me diverti muito.”

Fonte: JustJared

Escrito por marcia
Tags: ,

abr 21

A estrela britânica Naomie Harris está na capa e no  recheio da revista americana PorterEdit, última edição e já nas bancas. A atriz, de 41 anos, fala como sua equipe a protegeu de assédios sexuais: “Quando tudo [sobre Harvey Weinstein] estava acontecendo, meu gerente me fez lembrar de uma pessoa que me pediu, após a exibição, a ir até seu quarto e tomar uma bebida. Mas como minha gerente é incrível, ela imediatamente entrou em cena e disse: ‘Isso não acontecerá em circunstância nenhuma.’ Foi quatro ou cinco anos atrás. Ouvindo histórias, sinto que as pessoas não estavam protegidas o suficiente – especialmente quando você está começando nesta profissão aos vinte e poucos anos. É incrivelmente intimidador, e, então, você tem essas pessoas extremamente poderosas que, literalmente, com um único telefonema, podem mudar sua vida e sua carreira da noite para o dia.” Sobre apropriação cultural: “Acho que é um elogio adotar outras culturas e raças, ‘ideias sobre o quê as faz parecer bonitas.’ Não penso negativamente sobre isso.” E porquê queria ter um papel no filme “Rampage”: “A razão que queria fazer Rampage foi em grande parte porquê depois de Moonlight, recebi muitas ofertas, mas elas eram muito parecidas com as da personagem viciada em drogas, Paula. Então, ‘você quer atuar a mãe abatida’ ou ‘você atuar como uma viciada em crack?’ E li [o roteiro de Rampage] e fiquei tipo: ‘Isso não é nada parecido com a Paula!’ Completamente o contrário!”

Fonte: JustJared

Escrito por marcia
Tags: , ,

abr 14

A estrela britânica Lily James está na capa e no recheio da revista americana PorterEdit, última edição e já nas bancas. A atriz, de 29 anos, que é a protagonista do novo “Mamma Mia! Here We Go Again”, fala da emoção de encontrar Meryl Streep no set de filmagem: “[Meryl] estava cantando essa música em uma capela e foi muito emocionante. Eu estava sentada do lado de fora sabendo que estava prestes a conhecê-la. E chorando. E foi como: Segure isso juntos, Lily! Foi demais! Mas ela foi tão legal. Nós tivemos que fazer essa dança juntas e ela deu tudo para mim, ela me deixou aproveitar meu momento.” Sobre a pressão de assumir o papel de Donna Sheridan, personagem de Meryl Streep, no primeiro filme: “Oh, Deus. [Foi] aterrorizante. Tentei não me concentrar na Donna Sheridan antes de tudo isso. Dito isso, passei por todos os filmes de Meryl, especialmente quando era mais nova. Adorava ver ‘Lembranças de Hollywood’ – há uma espécie de loucura onde ela canta – e até ‘A Morte Lhe Cai Bem’.” E sobre os rumores de que estar noiva e que usou um anel de noivado na cerimônia do Bafta deste ano: “Não muito supersticiosa sobre os anéis. É estúpido, provavelmente, mas só coloco anéis em qualquer dedo. Além disso, aquele era um anel de desligamento. Quero dizer, Jesus. Esse anel vale um milhão de libras…”

Fonte: JustJared

Escrito por marcia
Tags: , , ,

fev 17

A estrela espanhola Penélope Cruz está na capa e no recheio da revista americano PorterEdit, última edição. A bela fala sobre o movimento #Me Too: “Tem que mudar as regras da nossa indústria e de todas as outras indústrias em que as mulheres estão sendo reprimidas de muitas maneiras diferentes. Não pode ser algo que esteja lá para preencher as notícias por alguns meses antes de passar para outra coisa.” Sobre sua própria frustração com a indústria [cinematográfica]: “Desde os 25 anos, [jornalistas] têm me perguntado se tenho medo de envelhecer. É uma coisa louca de perguntar, e sempre me recusei a responder. Eles nunca perguntariam a um homem isso. Obviamente, esse tipo de coisa está em escala diferente daquela em que estávamos falando, mas tudo se acumula e considero que faz parte de uma espécie de supressão geral das mulheres.” E sobre odiar os contos de fadas: “Os contos de fadas importam tanto porquê são as primeiras histórias que você ouve da boca de seus pais. Então, quando leio contos de fadas aos meus filhos à noite, estou sempre mudando os finais – sempre, sempre, sempre. [Fala um palavrão] Cinderela e A Bela Adormecida e tudo isso – há muito machismo nessas histórias. Isso pode ter um efeito sobre o modo como as crianças vêem o mundo. Se você não tem cuidado, eles começam a pensar: ‘Oh, então os homens conseguem decidir tudo.'”

Fonte: JustJared

Escrito por marcia
Tags: ,